Deus não é culpado pelos seus flagelos – Já os coronéis…

Hoje zapeando pelo podcast do Pedreira à Esquerda, me chamou atenção o episódio do dia 31/10/2019, que fala um pouco sobre a história de Pedreira e seu coronel.

Gostaria de convidá-los para ouvir esse episódio, que com certeza nos levará para um minuto de reflexão, e uma breve análise de como estamos sendo usados há muito tempo.

O resultado disso tudo nós podemos ver até hoje. As pessoas enaltecendo os patrões, atendendo ao chamado de alguns oportunistas para retornem ao trabalho, nessa época de pandemia e quarentena.

Esse podcast me fez lembrar de Cazuza, meu caro burguês, que apesar de ter desfrutado dos mimos que a burguesia era capaz de oferecer, fazia questão de dividir com os seus. Sempre dizia que era rico, mas não era mesquinho.

O Povo precisa acordar e se libertar das amarras, das algemas e do ódio, que é vendido gratuitamente pelos coronéis e pelos seguidores sanguessugas que os rodeiam.

O povo precisa entender que sempre será povo. Migalhas serão oferecidas para saciar seu desejo e castrar seus direitos.

O pequeno burguês é trabalhador, não importa quanto consiga acumular de capital, na crise volta todo mundo pra onde começou, e os burgueses de verdade só ficam mais ricos.

Por: Geferson Oliveira

Citação: Pedreira à Esquerda

História de Pedreira e seu coronel

Por: Rafael Nóris

Click para Avaliar essa Matéria
[Total: 4 Média 5]

Geferson Oliveira

Músico, Administrador de Empresas, amante da Cultura e cozinheiro nas horas vagas. A pior prisão é a do preconceito! Pessoas normais me assustam! Cria Curvos Y Te Sacarán Los Ojos!

Um comentário em “Deus não é culpado pelos seus flagelos – Já os coronéis…

  • 8 de abril de 2020 em 17:12
    Permalink

    Valeu por ajudar na divulgação do podcast, esse é um dos episódios que considero de maior importância. A história da cidade é muito perfumada, escondendo a exploração do povo e as relações entre famílias poderosas, que fazem tudo pela grana.

    Abração!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *